Voltar Especialidades

Radiologia Intervencionista

O que é

O que é

As patologias que afetam os pulmões ou quaisquer outros órgãos do aparelho respiratório podem ser congênitas ou adquiridas, seja pela ação de microrganismos, fatores ambientais ou por contato com substâncias agressivas, sobretudo a fumaça do cigarro.

As principais ocorrências pneumológicas são:

Asma
É uma doença geneticamente determinada, que afeta uma grande parte da humanidade e se caracteriza por redução do calibre dos brônquios, gerando dificuldade respiratória, chiado no peito e tosse.

Acomete pessoas de todas as faixas etárias. O diagnóstico é predominantemente clínico, com respaldo dos exames de função pulmonar.

Pneumonias
A pneumonia é uma infecção ou inflamação nos pulmões, que pode ser causada por vários microorganismos diferentes, incluindo vírus, bactérias, parasitas ou fungos.

Tuberculose
É uma infecção do pulmão provocada por um microrganismo chamado bacilo de Koch. Ainda hoje é um grave problema de saúde pública, sobretudo pela crescente resistência desses germes ao tratamento, constituído por antibióticos específicos.

Enfisema
Quase a totalidade dos casos é causada pelo tabagismo. A fumaça do cigarro vai continuamente destruindo os alvéolos pulmonares, causando o principal sintoma da doença que é a falta de ar.

Mantendo-se o vício, chega-se a fase mais avançada da doença onde a falta de ar já prejudica as tarefas mais simples do dia-a-dia, levando o indivíduo a passar grande parte do tempo sentado ou na cama.

Para confirmar o diagnóstico são utilizados exames de imagem, como radiografia e tomografia computadorizada do tórax e testes de função pulmonar.

Bronquite
É a inflamação dos brônquios causada por contato da mucosa com algum agente externo agressivo como: fumaça de cigarro, poluição, microrganismos, etc. Pode ser aguda ou crônica. Os principais sintomas são: tosse, expectoração de muco e falta de ar.

O diagnóstico é feito por exame físico e testes de função pulmonar. Além desses, podem ser utilizados exames de muco e de sangue para identificar a presença de um agente biológico como causa da doença.

Bronquiectasias
Caracterizam-se pela dilatação dos brônquios e provocam produção excessiva de secreção. As razões para essa disfunção têm origem congênita ou adquirida. Através de exames de imagem como radiografia ou tomografia computadorizada, é feito o diagnóstico da patologia.

Câncer de Pulmão
É a forma mais comum de câncer na atualidade

O tabagismo é a causa em 90% dos casos. Outros fatores causais, além da predisposição genética, incluem o contato ambiental com algumas substâncias como: arsênico, asbesto, berílio, radônio, etc.

Os procedimentos diagnósticos mais importantes incluem exames de imagem, a fibrobroncospia e as punções com agulhas.

Insuficiências respiratórias
Ocorrem quando os pulmões não conseguem fornecer quantidade suficiente de oxigênio ao corpo. Manifesta-se principalmente por uma dispnéia.

Pneumonites intersticiais
Inflamações agudas ou crônicas que afetam a zona das trocas gasosas dos pulmões, o complexo alvéolo-intersticial. Na maioria das vezes, suas causas são indeterminadas.

Pleurisias
Doenças da membrana que envolve o pulmão e que, na maioria dos casos, provocam acúmulo de líquido (derrame pleural). Suas causas são diversas, tanto pulmonares quanto extra-pulmonares.

Procedimentos

A Radiologia Intervencionista baseia-se em procedimentos minimamente invasivos, guiados por métodos de imagem, com finalidade diagnóstica e/ou terapêutica.

Angioplastia
É um procedimento feito para reabrir ou ampliar a luz de um vaso sangüíneo ocluído ou estreitado, sem necessidade de cirurgia. Pela técnica, através de orientação de imagens digitais, um cateter (um pequeno tubo) com um balão na extremidade é colocado na artéria afetada.

Quando o local a ser tratado é atingido, o balão é insuflado, dilatando o ponto estreitado, levando a um aumento do fluxo sangüíneo. A causa mais comum para a necessidade de uma angioplastia é o alivio de uma obstrução arterial causada por arteriosclerose (endurecimento das artérias).

Acesso Venoso Central (Quimioterapia e Hemodiálise)
O acesso venoso central é recomendado para pacientes que fazem tratamento de hemodiálise ou quimioterapia. Um tubo é inserido pela pele, obtendo-se um acesso simples e indolor para medicações ou coleta sanguínea, livrando o paciente da irritação e desconforto de repetitivas picadas.

Tumor do fígado (Quimioembolização hepática e/ou ablação por radiofreqüência)
No tratamento do tumor hepático, a Radiologia Intervencionista desempenha um papel fundamental. A quimioembolização consiste na administração de quimioterápicos diretamente na artéria nutridora do tumor, seguida da oclusão desta artéria, com uma ação sinérgica de destruição tumoral e com muito pouca repercussão sistêmica. A ablação é uma forma de destruição tumoral através de uma agulha especial posicionada no centro do tumor que leva ao aquecimento e morte tumoral.

TIPS (Shunt intra-hepático porto-sistêmico)
É o procedimento que oferece condição para o sangue fluir, quando existe uma obstrução à sua passagem o no fluxo da veia porta (veia que leva sangue ao fígado), geralmente causada por doenças como a esquistossomose, cirrose e hepatite. A técnica consiste na criação de um túnel no fígado, sem cirurgia, pelo qual o sangue bloqueado poderá fluir. Após a criação deste túnel, coloca-se um stent (tubo metálico) para garantir uma maior permanência deste procedimento.

Drenagem Biliar
Drenagem biliar é um procedimento não cirúrgico em que um cateter é colocado através da pele no interior do fígado para drenar a bile. A necessidade deste procedimento é em geral devido a uma obstrução dos dutos biliares, responsáveis pelo carregamento da bile do fígado ao intestino.

A drenagem biliar é um procedimento seguro, que se utiliza de imagens na tela de um computador para orientação de todo o procedimento. A bile drenada, dependendo da indicação, pode ser coletada fora do corpo, numa bolsa especial (drenagem biliar externa) ou drenada diretamente para o intestino (drenagem biliar interna).

Nefrostomia Percutânea
A nefrostomia percutânea é um procedimento em que um cateter é introduzido, através da pele, no rim para drenar a urina, sem cirurgia.

A indicação mais freqüente de uma nefrostomia é a obstrução do ureter, um pequeno tubo responsável pelo escoamento da urina do rim à bexiga. Outra indicação inclui a presença de um orifício nas vias urinárias levando ao extravasamento de urina que pode causar dor e infecções severas. A nefrostomia percutânea pode cessar o extravasamento, levando a cicatrização do orifício.

Aneurisma cerebral
O tratamento desta delicada patologia é feito pela virilha, navegando-se um microcateter até o interior do aneurisma, sendo depositado um material especial em seu interior, preenchendo-o por completo. Com isto, a parede do aneurisma fica protegida para evitar ruptura e sangramentos. Este é um procedimento estabelecido com excelentes resultados.

Aneurisma de aorta (Endoprótese)
É usado para o tratamento de aneurisma da aorta. A técnica, guiada por imagens de raio X, consiste na colocação de um tubo flexível (endoprótese) no interior da aorta, desde antes do início até depois do final do aneurisma, excluindo completamente o saco aneurismático da circulação. Nesta técnica, não há abertura do abdome ou tórax, sendo feita por pequena incisão na virilha por onde se introduz a endoprótese.

Filtro de Veia Cava
É um dispositivo metálico que é colocado na veia cava, tendo como função filtrar os coágulos e impedi-los que cheguem aos pulmões. O filtro funciona então como uma prevenção, não como tratamento da tromboembolia pulmonar (TEP).

Arteriografia
A arteriografia consiste num método diagnóstico, minimamente invasivo, realizado para estudo das doenças arteriais ou doenças com importante participação arterial. O exame exige o acesso ao espaço intravascular de uma artéria, conseguido através de uma punção.

Realizada a punção arterial, com o uso de cateteres especiais e guias, pode-se navegar por dentro das artérias para os mais diversos locais do corpo, orientando-se por imagens em tempo real na tela do computador. Uma vez atingido o local de interesse, é injetado contraste radiológico e adquiridas imagens digitais, que são processadas e trabalhadas. É um método que evoluiu de forma rápida, sendo um procedimento seguro e confiável para o diagnóstico da doença.

Flebografia
Exame diagnóstico, minimamente invasivo, para estudo do sistema venoso, através da injeção de contraste no interior do vaso. Realizado geralmente por punção de uma veia periférica (pé ou mão), ou de uma veia de maior calibre como a femoral. O contraste injetado desenha o sistema venoso, adquirindo-se imagens em aparelho digital, permitindo uma análise cuidadosa e eficiente.

Fístulas de Hemodiálise
Procedimento de criação de fístulas (ligações entre artérias e veias, geralmente do braço) para que o paciente possa fazer hemodiálise com segurança e conforto. Esta técnica visa a aquisição de um rápido acesso para a realização de hemodiálise.

Vertebroplastia Percutânea
A vertebroplastia percutânea é uma técnica para aliviar a dor de pacientes associada a fratura do corpo vertebral por osteoporose, metástases e tumores ósseos primários benignos ou malignos.

O procedimento é realizado com o paciente consciente, sob anestesia local. Guiado por fluoroscopia, introduz-se uma agulha especial no corpo vertebral, injetando-se cimento ortopédico. Este material solidifica-se, estabilizando a fratura vertebral e destruindo as terminações sensitivas, cessando a sensação dolorosa.

Mioma uterino (Embolização das Artérias Uterinas)
Procedimento minimamente invasivo utilizado no tratamento de miomas, evitando a necessidade de intervenção cirúrgica. É realizado através de uma punção da artéria femoral, na região da virilha, com a introdução de um cateter, guiado através de um equipamento de angiografia.

É realizado para cateterizar cada uma das artérias uterinas e fazer a infusão do material embolizante constituído de pequenas partículas. A embolização leva a uma diminuição da irrigação dos miomas que, sem nutrição, diminuem de tamanho, melhorando os sintomas e eliminando a necessidade da cirurgia para resolução do problema na maioria dos casos. Os estudos mais recentes mostram nível máximo de evidência científica, com resultados semelhantes aos cirúrgicos e bem menos invasivos.

Esclerose múltipla (angioplastia jugular)
Este é uma alternativa terapêutica experimental que consiste na dilatação das veias jugulares (principais veias do pescoço). Tem como princípio que a doença leva a uma hipertensão venosa que poderia ser aliviada por este método. Converse com seu médico.

Trombectomia mecânica
O procedimento consiste na colocação de um cateter, que possui um balão na ponta, na artéria doente. Ao atravessar o coágulo, o balão insufla e e traciona de volta o cateter trazendo o coágulo junto.

Trombólise
Nesta opção, se coloca um cateter no interior do coágulo, administrando-se uma medicação capaz de dissolver o coágulo.