Voltar Especialidades

Obstetrícia

O que é

O que é

Especialidade destinada a cuidar da mulher grávida, durante a gestação, parto e pós-parto.

O profissional dessa área também orienta a mulher com aconselhamento pré-gestacional e acompanha a saúde do feto, permitindo identificar anormalidades precocemente e que possibilitam intervenções terapêuticas ainda no útero.

Além de ajudar no diagnóstico precoce de patologias que possam vir a acometer a mãe e o feto, o trabalho de prevenção realizado no pré-natal também tem auxiliado a diminuir as taxas de mortalidade infantil e materna.

Cuidados na gravidez

Na gravidez, o atendimento deve ser individualizado com maior atenção às gestantes de alto risco.

Objetivos da Assistência Pré-natal:
- Preparar a gestante e seu parceiro para um nascimento e para um parto humanizado;
- Orientar e esclarecer as dúvidas quanto às modificações no organismo materno;
- Orientar quanto a modificações de hábitos, alimentação e atividades físicas;
- Reforçar o uso de medicamentos com orientação médica; e
- Estimular o alojamento conjunto.

A gestante deve entender que, durante a gestação, seu corpo vai passar por uma série de mudanças, tanto físicas quanto psicológicas. É importante manter a saúde durante o período de gravidez e seguir as orientações do obstetra.

Precauções importantes:
- Evitar o fumo a todo custo. Sua prática pode levar aos recém-nascidos de baixo peso e a outras complicações;
- Dieta balanceada é fundamental. A mãe e o bebê devem consumir os alimentos necessários para que ambos mantenham a saúde durante a gestação;
- Gravidez não significa sedentarismo. Deve-se tentar manter a atividade física e até esportes leves podem ser realizados sob orientação médica;
- É recomendável o uso de sapatos de salto baixo para evitar pressões no sistema ósteo-articular;
- Apoiar os pés em banquinhos ao sentar e tornar mais constante o uso de meias-calças para prevenir o aparecimento de varizes; e
- Relações sexuais são possíveis até o oitavo mês de gravidez, mas sempre sob orientação do obstetra.

Os cuidados da gestante também devem se estender às doenças que possam afetar a ela e ao feto. As mais perigosas são a rubéola e a toxoplasmose. Enfermidades que podem afetar a mãe nos primeiros três meses de gravidez.

Quanto mais no início da gravidez se dá o contágio, maior o risco para o feto. As consequências vão desde problemas de visão, distúrbios de desenvolvimento neuromotor, má formação até morte fetal e aborto.

Outro aspecto que deve ser acompanhado pelo obstetra, é impedir que a paciente fique anêmica, pois o volume sanguíneo sofre alterações durante o período de gestação.

Causas mais Frequentes de Anemia na Gravidez:
- Deficiência no consumo de ferro;
- Infecção urinária;
- Diarreia; e
- Perda de sangue.

Sinais de alerta

Alguns sinais indicam a necessidade de se procurar orientação médica durante a gravidez.

Entre os principais estão:

- Sangramentos;
- Contrações anormais;
- Febre;
- Cefaleia persistente;
- Perdas vaginais anormais;
- Redução anormal de movimentação fetal; e
- Ocorrências clínicas ou cirúrgicas.

O início do trabalho de parto também indica a necessidade da gestante procurar o serviço médico especializado. Entre os principais sintomas estão:
- Perda do tampão de muco;
- Ruptura da bolsa d’água;
- Diarreia; e
- Barriga dura.
No caso de sentir qualquer um desses sintomas, a mãe deve se manter calma, avisar ao médico que a acompanha sobre o início do trabalho de parto e ir ao hospital para receber o acompanhamento adequado.

Para ter certeza de que a gestante está passando por alguma complicação na sua gravidez, o obstetra pode pedir alguns exames que confirmem o diagnóstico.

Exames

Os exames complementares usados no acompanhamento pré-natal permitem identificar qualquer alteração na gestante ou no feto, que possa interferir no seu desenvolvimento.

Entre os principais exames utilizados, estão:

- Exames laboratoriais maternos;
- Ultrassonografia;
- Dopplefluxometria; e
- Cardiotocografia.

Dentro dos exames laboratorias, os mais importantes são as chamadas sorologias, que visam identificar a presença de agentes infecciosos - como vírus, bactérias ou protozoários - no corpo da gestante. O controle torna-se importante porque quaisquer infecções podem influir no desenvolvimento do feto.

As sorologias mais comumente utilizadas em obstetrícia visam identificar seguintes agentes:

- Sífilis;
- HIV;
- Toxoplasmose;
- Rubéola;
- Hepatites B e C;
- Citomegalovírus; e
- Doença de Chagas.

Se orientados de forma correta, esses e outros exames podem ajudar a diagnosticar e tratar das patologias mais comuns da gravidez.