Voltar Especialidades

Cardiologia

O que é

O que é

Cardiologia é a especialidade médica que se destina ao diagnóstico e ao tratamento das doenças que afetam o coração, bem como os outros componentes do sistema circulatório.

O médico especialista nessa área é o cardiologista.

Os exames mais comuns realizados são eletrocardiograma, teste ergométrico, ecocardiograma, holter e monitorização da pressão arterial (MAPA e MRPA).

Entre os principais fatores de risco, estão:

- Diabetes Mellitus (doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue);
- Estresse emocional;
- Hipertensão arterial;
- Obesidade;
- Tabagismo;
- Colesterol elevado.

Sinais de alerta

A queixa mais comum entre as pessoas com problemas cardiológicos é a dor no peito, braço, queixo e/ou cabeça, podendo sentir, ainda, palpitações e perder os sentidos.

Em alguns casos, há falta de ar que pode acarretar mudança no tom de pele devido à diminuição de oxigênio nos pulmões.

Diante do surgimento de qualquer um destes sintomas, a medida mais sensata é buscar uma emergência cardiológica, onde o especialista de plantão analisará a situação e fará uma avaliação das medidas terapêuticas, sejam medicamentosas ou cirúrgicas, a serem tomadas.

Principais patologias

A maioria das patologias cardíacas possui um sintoma em comum: dor no peito. Esse é um sinal importante que, quando aparece, indica a necessidade de buscar a orientação de um cardiologista.

Entre as principais patologias, podemos citar:

Angina
É uma dor ou sensação de pressão no centro do peito, decorrente do fornecimento insuficiente de sangue para determinada parte do coração. Apesar de normalmente ocorrer em situações de estresse ou de grande esforço físico, em que o coração é mais exigido e necessita de mais oxigênio, pode surgir também em repouso.

A angina apresenta três diferentes níveis:

Angina estável
Provocada por esforço, estresse emocional e taquicardia. É aliviada por repouso.

Angina variante
Pode ocorrer mesmo em repouso e é aliviada por vasodilatadores.

Angina instável
Forma mais grave, com dor mais intensa e prolongada, também chamada de "angina pré-infarto".

Arritmia
Arritmia cardíaca é qualquer alteração do ritmo e da frequência dos batimentos cardíacos por irregularidade na condução do estímulo elétrico.

Aterosclerose
A aterosclerose é o estreitamento e endurecimento das artérias, que ocorre por causa da formação de placas de gordura que se aderem à camada interna das artérias, obstruindo o fluxo sanguíneo. É a grande causadora da cardiopatia isquêmica.

Acidente Vascular Cerebral (AVC)
Qualquer doença cardíaca pode determinar um Acidente Vascular Cerebral. Quando há algum problema que impede o coração de funcionar corretamente, o sangue pode deixar de alcançar o cérebro, além de outros órgãos, levando a uma isquemia.

Os principais fatores que causam um AVC são: arritmias, infarto do miocárdio, doença de Chagas, problemas nas válvulas, etc.

Cardiopatia Isquêmica
É o comprometimento do músculo cardíaco pela deficiência de oxigenação de determinada área do coração.

Causado pela diminuição do diâmetro das artérias, devido ao acumulo de gorduras, cálcio e fibrina em sua camada interna.

Causa a morte do tecido cardíaco, além de diversas patologias: angina, infarto agudo do miocárdio e morte súbita cardíaca.

Infarto Agudo do Miocárdio O infarto decorre de um grande entupimento das coronárias, que reduz significativamente ou mesmo interrompe o fornecimento de oxigênio para o músculo cardíaco, causando morte do tecido cardíaco.

A dor no peito é o sintoma clássico e mais comum de infarto. Geralmente é sentida no centro do peito e irradia-se para a parte anterior do tórax, pescoço, mandíbulas e braço esquerdo.

Estes sintomas podem vir acompanhados de náuseas, vômitos, suor intenso, dormência e sensação de formigamento no braço esquerdo, palpitação, taquicardia e escurecimento da visão.

Os médicos alertam que, apesar de serem os mais comuns, nem todos os sintomas citados ocorrem durante um ataque.

Os fatores de risco são tabagismo, obesidade, pressão arterial elevada, altos níveis de colesterol no sangue, sedentarismo, diabetes, alimentação irregular e estresse.

Insuficiência Cardíaca
Trata-se da incapacidade do coração de bombear para o organismo todo o sangue que recebe. A síndrome é consequência de patologias do próprio coração ou de outros órgãos.

As doenças das artérias coronárias constituem a principal causa, seguidas por hipertensão arterial, alcoolismo, doença de Chagas, doença reumática das válvulas cardíacas e infecções virais.

Como a quantidade de sangue no organismo está abaixo do necessário, o problema reflete diretamente no dia a dia e na qualidade de vida do paciente.

Como decorrência, o indivíduo apresenta falta de ar, que compromete qualquer esforço físico e chega a interferir no sono.

Fadiga, tontura, extremidades frias, palpitações, cansaço progressivo, edema (inchaço) nos pés, perda de peso e dores abdominais (devido ao crescimento do fígado) também são manifestações frequentes.

Valvulopatias
São patologias que acometem as válvula cardíacas (Mitral, Aórtica, Pulmonar, Tricúspide), que, consequentemente, podem apresentar Insuficiência (a válvula não fecha completamente, ocorrendo um refluxo de sangue) ou Estenose (a válvula não abre completamente, oferecendo uma resistência ao fluxo sanguíneo).

Os sinais e sintomas são variados, conforme o local e a severidade da valvulopatia. Entretanto, os mais comuns são cansaço, falta de ar, fadiga, angina e palpitações.

Estas patologias são diagnosticadas a partir dos diversos sinais de alerta que o paciente apresenta.

Procedimentos

Os diversos procedimentos utilizados na cardiologia visam à identificação de alterações no funcionamento do coração, que podem indicar patologias.

ECG (Eletrocardiograma)
Utilizado para examinar o ritmo, a frequência e as alterações elétricas.

Radiografia de Tórax
Para visualizar o tamanho e a localização do coração, além de sua repercussão com o pulmão.

Ecodopplercardiograma
Exame dinâmico e não invasivo capaz de avaliar com precisão o desempenho cardíaco e a anatomia do coração.

Cintilografia com Radioisótopos
Com a aplicação de substâncias que criam contrates e são detectados por uma câmara especial, tem-se uma visão do músculo cardíaco e pode-se detectar áreas lesionadas, determinando a possibilidade de intervenção cirúrgica.

Cateterismo Cardíaco
Através da inserção de um cateter em uma artéria, os especialistas podem estudar toda a rede coronariana, verificando a necessidade de instituir procedimentos terapêuticos que podem tanto evitar uma cirurgia como adiá-la para uma ocasião mais propícia.

Tratamentos

Os tratamentos das patologias cardíacas podem ser de orientação dietética, medicamentosa, cirúrgica ou, ainda, demandar o implante de mecanismos substitutos.

Em alguns casos, é necessária a colocação de um tipo de malha de aço - chamada de “Stents”-, que impede o entupimento dos vasos cardíacos. Este tipo de prótese também visa a melhorar e prolongar os resultados de procedimentos de angioplastia.